top of page

POEMS

FIM DA JORNADA

By Mauro C. Souza @ 2012

Sombras que não desaparecem

De um passado que sangra em meus ouvidos

Espalhando no chão do meu destino,

Dividido pela solidão,

Imerso no silêncio do absurdo.

Ilumino a escuridão em minha alma

Essa fome devora meus dias

Em abismos que se abrem em redemoinhos.

Abrindo cicatrizes irreversíveis

Matando lentamente a alegria

Já torcida em meu coração.

Assim, a manhã está nublada,

Já não se ilumina com emoções.

É o fim da jornada.

Um adeus esquecido e ainda não perdoado.

IMG_0537.JPG

Photo by Haeyeon Chang

Never miss a big story again. Sign up for my newsletter and get an e-mail every week with the stories you want to read.

Thanks for submitting!

Will be used in accordance with our Privacy Policy.

bottom of page