top of page

POEMS

"FIM DA JORNADA"

By M. C. De Souza

Sombras que não desaparecem

De um passado que sangra em meus ouvidos

Espalhando no chão do meu destino,

Dividido pela solidão,

Imerso no silêncio do absurdo.

Ilumino a escuridão em minha alma

Essa fome devora meus dias

Em abismos que se abrem em redemoinhos.

Abrindo cicatrizes irreversíveis

Matando lentamente a alegria

Já torcida em meu coração.

Assim, a manhã está nublada,

Já não se ilumina com emoções.

É o fim da jornada.

Um adeus esquecido e ainda não perdoado.

IMG_0571.jpeg

Photo by Haeyon Chang

Never miss a big story again. Sign up for my newsletter and get an e-mail every week with the stories you want to read.

Will be used in accordance with our Privacy Policy.

bottom of page